Seguidores

sexta-feira, 13 de março de 2015

A Menina Que Sonhava Demais

CAPÍTULO II



           Na hora em que o professor Antônio anunciou que iria ter um teste  surpresa, olhei diretamente para Clara, e fiz um movimento com a boca            dizendo : "Viu? Eu sabia! Ainda bem que estudamos" E ela respondeu : "Você é muito chata! Esse teste deve ser moleza" Kate riu e lembrou que a sua amiga não aceitava estar errada. Às vezes precisava acalmar a amiga para que ela não enfrentasse as pessoas com seu jeito bravo.
Clara era uma garota baixinha, morena e com os cabelos bem grandes, encaracolados e castanhos. Era muito bonita (pelo menos era o que Kate achava). Quando ela pensava em beleza rapidamente se lembrava de um sonho de infância que rapidamente foi esquecido no meio do caminho até chegar na faculdade. Ela sempre quis ser modelo. 
Nunca se achou a pessoa mais linda do mundo, mas adorava seus cabelos extremamente encaracolados, e da mesma proporção, ruivos. Eles quase pareciam o fogo de tão vermelhos (e o melhor de tudo é que eram naturais) sua pele era tão branca, que ela precisava passar protetor solar todos os dias. Era bem alta, mas tinha um corpo maravilhoso.
Já foi chamada para diversos desfiles e aceitara todos, mas foi quando ela tinha 16 anos que aconteceu o pior.
No auge da sua carreira mirim de modelo, ela estava extremamente empolgada, todos queles maquiadores, cabeleiros, e estilistas em cima dela querendo deixá-la mais linda ainda.... Para ela era simplesmente incrível!! Então ela quis "ajudá-los"
Começou a fazer dietas radicais, comia pouco e tomava remédios para não ficar com fome. Alguns dias ela chegava a tomar dois copos de água e algumas folinhas de alface por dia. Tudo para ter o corpo "perfeito".
Um belo dia, Kate estava na escola e começou a se sentir mal. Ficou tonta e desmaiou. Foi apenas o primeiro de vários desmaios que viriam por aí. Às vezes via sua mãe chorando no quarto, conversando com seu pai sobre ela e sobre como ela estava doente. 
Ela chegou a ir em vários médicos, mas nenhum conseguia tratar o que já se podia chamar de "anorexia aguda" Esse era um lado sombrio da sua vida. Nunca contou nada dessa história para ninguém além da sua família. Nem sobre a Anorexia, nem sobre o seu sonho.
Parou de pensar nisso quando uma folha branca pousou sobre a sua mesa.
Começou a fazer o teste e percebeu que não sera tão fácil como Clara pensava.